Estudos apontam uma nova era para o tratamento da obesidade

Em 2021, foram divulgados os ensaios clínicos Semaglutide Treatment Effect in People with obesity (STEP)

Olá, profissional da medicina. Tudo certo?

A Sanar se preocupa com você. Por isso, estamos sempre preparados para te manter informado sobre as principais novidades da medicina e te mostrar artifícios para melhorar a sua vida profissional (e até mesmo a vida pessoal).

Nesta edição, fizemos uma curadoria com alguns temas super importantes. Dá uma olhada no que separamos!

  • Nova era para o tratamento da obesidade

  • Mais de 1 bilhão de tratamentos médicos parados. O que esperar para os próximos meses?

  • Dr. Saulo Ciasca ensina como evitar erros ao atender pacientes LGBTQIA+

  • Qual a importância de saber sobre investimentos para os médicos?

  • Como será a concorrência em residência médica este ano?

Vamos nessa?

Tratamento da obesidade: estudos apontam resultados promissores no uso de semaglutida

Uma nova era para o tratamento da obesidade começou. Em 2021, foram divulgados os ensaios clínicos Semaglutide Treatment Effect in People with obesity (STEP) em três dos principais periódicos médicos da atualidade. The New England Journal of Medicine, The Lancet e Nature Medicine. Os resultados foram recebidos com entusiasmo pela comunidade médica.

Atualmente, os fármacos disponíveis para tratamento da obesidade são orlistate, fentermina/topiramato, naltrexona/bupropiona e liraglutida. Eles levam a uma perda ponderal em média, 4-7% maior do que o placebo. Enquanto o tratamento com a semaglutida levou ao dobro desse valor.

Os pacientes do estudo passaram por um tratamento de 68 semanas, onde receberam uma injeção subcutânea semanal de 2,4mg de semaglutida ou placebo. A medicação foi associada a intervenções no estilo de vida.

Os desfechos primários do estudo já mostraram uma redução de, pelo menos, 5% do peso. Já os desfechos secundários do estudo chamaram atenção para além do percentual do peso corporal. Mudanças na circunferência abdominal e na pressão arterial também foram registradas.

Saiba mais sobre o estudo

Mais de 1 bilhão de tratamentos médicos parados. O que esperar para os próximos meses?

Com a pandemia do novo coronavírus, clínicas, hospitais e laboratórios precisaram mudar completamente a rotina de funcionamento. Devido, principalmente, a suspensão das cirurgias eletivas e de consultas especializadas.

De acordo com a Conasems (Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde), já são mais de 1 bilhão de procedimentos médicos não realizados desde o início da pandemia no Brasil.

Agora, com o avanço da vacinação e a redução das internações por Covid-19, os atendimentos estão sendo retomados gradativamente nos estados brasileiros. Mas o cenário não é dos melhores. Há uma fila de espera por 130 mil cirurgias eletivas e 345 mil consultas com especialistas. Isso apenas no município de São Paulo.

Para os próximos meses, os desafios da saúde são encarar a situação de pacientes que tiveram seus quadros de saúde agravados e uma maior demanda por serviços de saúde, principalmente no SUS. O médico sanitarista Walter Cintra Ferreira Junior avalia que, para atender a demanda, será necessário uma força-tarefa no sistema de saúde.

Ler mais sobre o assunto

Dr. Saulo Ciasca ensina como evitar erros ao atender pacientes LGBTQIA+

"Os profissionais de saúde não estão preparados para atender pacientes LGBTQIA+", ressaltou o psiquiatra Saulo Ciasca. Os erros na condução da entrevista com o paciente podem comprometer todo o atendimento. E o pior pode fazer com que essas pessoas criem barreiras de acesso à saúde.

Em entrevista a Sanar, o médico explicou que o básico do atendimento é saber sobre orientação sexual e identidade de gênero.

"Os erros mais comuns no atendimento de pessoas LGBTQIA+ são: partir do pressuposto de que sabe qual é o sexo biológico da pessoa, de que sabe qual é a identidade de gênero, fazer suposições sobre a prática sexual do paciente e não perguntar o nome social", detalhou Saulo. Na entrevista, ele também falou sobre a importância de cuidar da saúde mental.

Ler entrevista completa

Saulo Ciasca é um dos palestrantes do Sanarcon, que acontece no dia 18 de setembro. No congresso digital, o médico vai ensinar o que todo médico precisa sobre saúde LGBTQIA+. Para assistir a palestra, você só precisa fazer sua inscrição gratuitamente no site do evento (sanarcon.sanarmed.com).

Qual a importância de saber sobre investimentos para os médicos?

Saber sobre investimentos pode facilitar a sua carreira. Após certo tempo investindo, o dinheiro começará a "fazer plantões" por você.

As vantagens de investir são inúmeras: não precisar passar a vida toda fazendo muitos plantões, ter tempo para fazer o que quiser e conseguir estar mais próximo das pessoas que ama. De uma forma geral, o médico consegue ter mais qualidade de vida.

Tem investimentos para todos os perfis de investidores, tanto no que se refere a valores e riscos até o período de resgate.

Saber mais

Quer fazer residência médica? Saiba qual é o cenário de concorrência este ano

Com a redução dos leitos de UTI e de demanda de plantonistas de Covid-19, os médicos têm o desafio de repensarem as carreiras e buscar formas de se destacar. Para o médico Vinícius Cogo, que é especialista em carreiras, esse é o melhor momento de buscar um título de especialista. A melhor forma de fazer isso é através da residência.

“Especialistas tendem a ganhar em média 30% a mais do que generalista. O que acaba tendo uma influência bem relevante na qualidade de vida do médico. E também na construção do seu patrimônio", explica o médico.

O especialista também chamou atenção para as perspectivas do mercado. Os espaços devem ficar ainda mais de disputados. “A concorrência em residência deve aumentar muito em 2022. E quem optar por permanecer generalista deve enfrentar uma redução de plantões e de remuneração”, finaliza.

Veja a análise completa do momento

E por falar em residência, você sabia que estamos oferecendo vários materiais de preparação para prova gratuitos? E-books, minicursos, simulado premiado e mentoria personalizada.

Nos grupos de mentoria, os participantes podem conferir materiais de revisão, correção de questões, dicas para otimizar os estudos e também tirar dúvidas com os professores da Sanar. Acesse o site "se é prova, a gente aprova" e veja todas as opções para potencializar seus estudos sem pagar nada.

Podemos contar com a sua ajuda para tonar nossos produtos ainda melhores? Se sim, acesse o link (sanarresmed.typeform.com/to/twYNsPLR) e responda uma pesquisa super rápida sobre residência médica. A sua resposta para gente vale muito e você ainda ganha prêmios.

Profissional de medicina, a Sanar News é feita para você!

Gostou do conteúdo? Aproveita para compartilhar a newsletter com os colegas, estudantes de medicina e outras pessoas interessadas nos temas. Vamos juntos fazer a medicina evoluir. Qualquer feedback, não deixe de falar com a gente também!